Saltar para o conteúdo
?
Sua nota
Direção
,
Roteiro:
Jean-Pierre Dardenne, Luc Dardenne
Gênero:
Origem:
, ,
Estreia:
05/02/2015
Duração:
95 minutos
Prêmios:
67° Festival de Cannes - 2014, 87° Oscar - 2015

Lupas (29)

  • Não é um grande filme, mas não precisa ser... É um filme simples... Desses que nos faz pensar por um tempo...

    Sergio Gregorio Araujo Silva | Em 19 de Março de 2016 | NOTA: 7.0
  • Esperava mais... É um filme honesto, comovente, sentimental e profundo. Mas a história é curta e contada de maneira arrastada, com cenas repetitivas...

    Sandro Pimentel Martins | Em 02 de Março de 2016 | NOTA: 5.5
  • Apesar do domínio narrativo habitual, há pouco brilhantismo em se tratando dos Dardenne's. Mas Cotillard faz tudo parecer maior com sua presença absurda. Atriz gigantesca e que caminha a passos largos pra se tornar a maior de sua geração.

    Nilmar Souza | Em 16 de Fevereiro de 2016 | NOTA: 7.5
  • Os irmãos Dardenne trazem um panorama de uma triste realidade econômica européia e a busca da inserção do indivíduo dentro deste cenário. Também trazem velhos problemas de sua narrativa sempre truncadas, secas, frias em excesso e neste caso redundante.

    Eliezer Lugarini | Em 14 de Fevereiro de 2016 | NOTA: 6.5
  • 'Eu só queria ser aquele pássaro". Cotillard excelente nesse retrato fiel da vida real

    Thiago Cotta | Em 17 de Janeiro de 2016 | NOTA: 8.0
  • O comportamento ante a oposição entre altruísmo e interesse. Real a cada momento de sua execução. Humano, bonito e simples. A cena do sorriso de Sandra no carro, embalada por La nuit n'en finit plus, não vai sair da minha memória nunca.

    Daniel Maximo | Em 20 de Junho de 2015 | NOTA: 8.5
  • Real, cru...fiquei pensativo. Que lógica cruel essa do mercado profissional. Marion sempre ótima.

    Pedro Luis Santos Miranda | Em 31 de Maio de 2015 | NOTA: 8.5
  • Apesar do tema parecer interessante (momento de crise, com as pessoas cada vez mais egoístas e/ou depressivas), o filme é cansativo devido a repetição de situações. Apesar de tudo, não tira o brilho da entrega na atuação de Cotillard.

    Raphael da Silveira Leite Miguel | Em 26 de Maio de 2015 | NOTA: 6.0
  • O filme retrata a jornada de uma mulher tentando manter seu emprego em um mundo selvagem e capitalista. Cotillard está bem, mas o loop infinito, jogo de câmera ruim e uma trilha sonora deficiente tornam a experiência massiva demais.

    Luiz Fernando Perugia | Em 26 de Fevereiro de 2015 | NOTA: 6.5
  • Ótimo tema tratado de uma forma impecável. É impossível não torcer por Sandra em todos os seus encontros, mesmo que em alguns momentos o torne um pouco cansativo. Marion Cotillard excelente como sempre.

    Thiago Cavalcante Hércules | Em 24 de Fevereiro de 2015 | NOTA: 8.0
  • Não é sempre q vemos temas tão facilmente sentimentalizado como o atruísmo e generosidade sendo perfeitamente discutido sem maneirismos e afetações. Um estudo sobre moral,egoísmo e de quebra,a crise financeira que gera conflitos entre a moral e necessidad

    Anderson de Souza | Em 14 de Fevereiro de 2015 | NOTA: 8.5
  • Sem se ater ao "problema" da demissão (que é deduzido ao longo da trama), o filme (basicamente ancorado na ótima interpretação de Marion Cotillard) se presta mais a dissecar o comportamento humano (ética, princípios, valores...) em momentos difíceis.

    GILBERTO C. MESQUITA | Em 14 de Fevereiro de 2015 | NOTA: 6.0
  • Do quadro de crise econômica atual, os diretores trazem uma grande reflexão sobre as relações humanas, com algumas reações dos personagens sendo realmente espantosas. E Cotillard dispensa comentários.

    Douglas Braga | Em 07 de Fevereiro de 2015 | NOTA: 8.0
  • Frestas de humanismo invadem a caminhada na corda bamba da protagonista, cujos interlocutores que visita, em sua maioria, são metonímia de um mundo onde o individual cada vez mais sobrepuja o coletivo, ainda que suas motivações soem legítimas.

    Patrick Corrêa | Em 05 de Fevereiro de 2015 | NOTA: 8.5
  • Filme que acaba ficando nos ombros da Marion Cotillard, que dá conta do recado de forma expressiva, tendo os típicos momentos Dardennianos quase como enfeites narrativos. Não figura entre os melhores filmes da dupla.

    Caio Santos | Em 24 de Janeiro de 2015 | NOTA: 7.5
  • Ótima atuação da protagonista. Porém o filme em geral é um pouco sem sal.

    Patrícia Martinez | Em 02 de Janeiro de 2015 | NOTA: 6.0
  • O altruísmo humano posto em xeque; filme que cumpre a proposta com louvor. A grande atuação de Cotillard define o peso emocional, apesar de alguns deslizes nas falas.

    João Vitor Tiveron Teodoro | Em 01 de Janeiro de 2015 | NOTA: 7.5
  • A personagem de Cotillard é a imagem que tenho do ideal de mulher, pois me atrai por sua força: emoções à flor da pele, luta contra a depressão, empatia legítima, personalidade instável e complexa. E mesmo desempregada e desarrumada, maravilhosa.

    Diego Henrique Silveira Damaso | Em 29 de Dezembro de 2014 | NOTA: 7.5
  • Impressionante o domínio dos Dardenne sobre sua proposta naturalista, com a condução em pleno equilíbrio, e ao induzir tanta reflexão de modo tão procedente em torno das situações.

    Lucas do Carmo | Em 22 de Dezembro de 2014 | NOTA: 8.5
  • A realização dos Dardenne, com toda sua força física, aqui quase atinge o nível dos seus melhores filmes, mas inevitavelmente se rende ao desempenho de Cotillard, atriz cuja sutileza das interpretações tem construído o costume de roubar cenas, brilhante.

    Augusto Barbosa | Em 17 de Dezembro de 2014 | NOTA: 7.5