Saltar para o conteúdo

Medo e Delírio

(Fear and Loathing in Las Vegas, 1998)
6,6
Média
152 votos
?
Sua nota
Direção
Roteiro:
Hunter S. Thompson (livro), Terry Gilliam (roteiro), Tony Grisoni (roteiro), Tod Davies (roteiro), Alex Cox (roteiro)
Gênero:
,
Origem:
Duração:
118 minutos
Prêmios:
51° Festival de Cannes - 1998

Lupas (22)

  • Nem medo e nem delírio.

    Chrystian | Em 18 de Novembro de 2017 | NOTA: 2.0
  • o livro é muito prazeroso. O filme, não.

    Daniel Martins | Em 02 de Setembro de 2017 | NOTA: 6.0
  • A dupla principal funciona e o filme cumpre bem a tarefa de mostrar ao espectador o " medo e o delírio", causando incômodos constantes. Pena que o excesso de tudo não tenha me cativado, o que deixou a experiência nada divertida!

    João Ferreira | Em 09 de Abril de 2017 | NOTA: 5.0
  • A segunda metade perde toda a grandeza que vinha sendo construída. Péssimo uso de personagens femininas

    Paulo Matheus | Em 04 de Janeiro de 2017 | NOTA: 6.0
  • Fraco ao extremo. Atuações caricatas de JOHNNY DEEP e BENICIO DEL TORO. beirando o ridiculo. O filme no seu todo é um tremendo engodo.

    ADEMAR FERREIRA BESSA | Em 19 de Outubro de 2016 | NOTA: 2.0
  • Seqüência direta de Naked Lunch. Nas mãos certas.

    Marlon Tolksdorf | Em 22 de Novembro de 2015 | NOTA: 8.0
  • "Turn on, tune in, drop out."

    Bruno Risin | Em 05 de Outubro de 2015 | NOTA: 9.0
  • É um cinema bem particular o de Gilliam, seus personagens enxugados de droga dizem muito sobre as dificuldades que passam aqueles que não se encaixam nos padrões da sociedade. Algumas das imagens causam incômodo e repulsa, mas deveriam mesmo.

    Gabriel Fagundes | Em 28 de Setembro de 2015 | NOTA: 8.0
  • O único mérito é transmitir a sensação de estar sob efeito de drogas. Mas que sensação horrorosa...

    Patrick Corrêa | Em 02 de Setembro de 2015 | NOTA: 4.0
  • A história não se sustenta com força em suas duas horas, mas ver as alucinações da "jornada" dos protagonistas é algo de outro mundo. A atuação e as brisas ficaram insanas.

    Gustavo de Souza Silva | Em 04 de Agosto de 2015 | NOTA: 6.0
  • Mais longo do que é capaz de sustentar. No final, uma experiencia insatisfatória.

    Jules F. Melo Borges | Em 12 de Março de 2015 | NOTA: 5.0
  • 26/08/09

    Eduardo Scutari | Em 09 de Março de 2014 | NOTA: 4.0
  • Divertido, mas esperava mais doideiras.

    Landerson DSP | Em 06 de Junho de 2013 | NOTA: 7.0
  • Uma viajem de Gilliam ao complexo mundo das drogas: sem nexo, sem sentido... Interpretada de forma brilhante por Depp e Del Toro.

    Robson Filho | Em 05 de Abril de 2013 | NOTA: 7.0
  • A única coisa positiva do filme é fazer, a cada cena, o espectador comum odiar o vício e os drogados (que só fazem "merda"), ainda que haja certa apologia à "curtição"... Nem o elenco caricato se salva.

    GILBERTO C. MESQUITA | Em 17 de Setembro de 2012 | NOTA: 0.5
  • O bizarro jornalismo gonzo é muito bem retratado por Gilliam, Depp e Del Toro, todos à vontade em um filme louco, mas com sentido, que marca o rápido auge da contracultura e sua questionável decadência.

    Guilherme Algon | Em 13 de Setembro de 2012 | NOTA: 8.0
  • OIAEJ ÇJPGJROIGJ KMRKGJAKGJZKLCVJZLKXC,]VLKV,KGFPÁUGJFDVADFJFIGTUEQIRHTEARHTIUAEEOIRKERLMVL,FDXKMXC,MLLKFGGF.LGFM JKDTKJGRIJGREAMGIOAERIFGRGFLKÇFDGLKMÇDFGKMSDFC LKICFIOGIOKXCVKMSDFIUJ,MSDRAKLCLK,MKLMDX,MFK,SZDF.,ÇLXCFKLXZDFKJWAERLKEROIOJRFTIAWEVOIPMOIJEO

    Vinícius de Castro | Em 25 de Fevereiro de 2012 | NOTA: 9.0
  • Cheio de alucinações por parte dos protagonistas, é muito divertido de se ver. Gilliam faz um trabalho sempre competente na direção, juntamente com Depp e Del Toro.

    Sebastian Heleno | Em 01 de Novembro de 2011 | NOTA: 8.0
  • A insanidade de Terry Gillian alcança altos graus ao usar de drogas pesadas,festas sem controle e Johnny Depp e Del Toro excepcionais como 2 loucos insandecidos. Só coadjuvantes de bom nível.

    Adriano Augusto dos Santos | Em 03 de Outubro de 2011 | NOTA: 8.0
  • Gilliam se aproveita da temática (drogas, Sonho Americano, Vietnã) para usar e abusar de sua estética minimalista e o resultado é um deleite visual e de criatividade. A falta de contudência na 'estória', por outro lado, o torna uma experiência maçante.

    Guilherme Valandro Vivian | Em 29 de Agosto de 2011 | NOTA: 5.0