Saltar para o conteúdo
8,2
Média
367 votos
?
Sua nota
Direção
Roteiro:
Paddy Chayefsky (autor)
Gênero:
Origem:
Duração:
121 minutos
Prêmios:
49° Oscar - 1977, 34° Globo de Ouro - 1977

Lupas (37)

  • Inesperado que um filme tão gritado e espalhafatoso esteja tão mais perto da unanimidade cinéfila do que do "amor ou ódio". Sensacionalista e barulhento, passível de grande debate quanto ao sucesso na explicitação de sua tese. Difícil é ficar indiferente.

    Diego Henrique Silveira Damaso | Em 29 de Dezembro de 2018 | NOTA: 8.0
  • A capacidade de argumentação do texto de Lumet no seu auge. Explicita facetas do quarto poder como talvez nenhum filme tenha conseguido até hoje. A televisão, o capital e sua natureza implacável, o jornalismo romântico e sua função. A obra prima do Lumet.

    Josiel Oliveira | Em 05 de Junho de 2018 | NOTA: 9.5
  • Belíssimo roteiro, encenado de forma intensa e firme, crítico e poderoso. Rede de Intrigas é um filme forte porém também histérico e exagerado, seu grande pecado que jamais encobre seus momentos de genialidade como a cena final e a gritaria das janelas.

    Eliezer Lugarini | Em 26 de Outubro de 2017 | NOTA: 7.0
  • O filme mais brilhante da década, e quiçá, do século.

    Julliano Guerrero | Em 03 de Novembro de 2016 | NOTA: 8.5
  • Lumet e Chayefksy entregam uma crítica inteligente, ácida, mordaz e, infelizmente, atualíssima. É trágico constatar que, passados quarenta anos, nada mudou. E que elenco: Dunaway, Finch, Duvall e Holden excepcionais em suas composições. Grande filme.

    Diego de Mendonça Costa | Em 29 de Maio de 2016 | NOTA: 9.0
  • 04/05/2016

    ANTONIO CELIO BORGES | Em 04 de Maio de 2016 | NOTA: 8.5
  • No início parece ser um típico filme correto na abordagem e com uma execução lugar comum, mas aos poucos vai tirando essa impressão, e criando cenas escandalosas e condizentes com a crítica. Só é verbalizado demais: isso cansa e pode até soar pretensioso.

    Kennedy | Em 20 de Fevereiro de 2016 | NOTA: 8.0
  • É um tanto espantoso como o roteiro de Network continua atual. Sempre questionei porque era tão difícil exibirem na TV. A crítica demolidora a essa forma de mídia é a melhor resposta, ou alguém consegue imaginar a Globo exibindo esse filme na Tela Quente?

    Davi de Almeida Rezende | Em 11 de Janeiro de 2016 | NOTA: 8.0
  • Tive que assistir duas vezes para dar minha nota... E assistiria mais 3, 4, 5 vezes, com o maior prazer. É um prazer ver esse filme.

    Anderson Placido | Em 23 de Outubro de 2015 | NOTA: 9.0
  • Há crítica, mas nenhuma provocação ou incitação. Funcionaria se tendesse para a sátira, casaria bem melhor com seu tom exagerado. Os discursos, onde deviriam residir sua força, parecem mais birra. Nem a habilidade narrativa de Lumet sobrevive.

    Ravel Macedo | Em 25 de Julho de 2015 | NOTA: 5.0
  • O vaticínio de Howard já se concretizou há muito. Verbalmente pontiagudo e energicamente atuado, não há uma só cena desprovida de um mínimo de impacto nessa crítica praticamente atemporal do modus operandi televisivo.

    Patrick Corrêa | Em 26 de Junho de 2015 | NOTA: 10.0
  • Paddy Chayefsky se excedeu aqui, já que os diálogos e personagens parecem mais fantoches de uma mesma pessoa (Ele, principalmente). Mesmo assim, o filme mantém a atenção e essas mesmas caraterísticas citadas podem ser positivas, dependendo de quem vê.

    Jules F. Melo Borges | Em 04 de Junho de 2015 | NOTA: 7.5
  • Nós sabemos que as coisas estão ruins, então nos sentamos dendro de nossas casas e lentamente o mundo vai ficando menor e dizemos: Por favor, pelo menos nós deixem em paz dentro de nossas casas.Mais eu não os deixarem em paz,eu quero que vocês enlouqueção

    Leonardo Ferreira Sampaio | Em 19 de Janeiro de 2015 | NOTA: 9.5
  • A banalização informacional, cada vez mais atual, destacando-se sobre a realidade em que vivemos, cada vez (aparentemente) menos importante diante dos olhos de quem a vivencia.

    João Vitor Tiveron Teodoro | Em 31 de Dezembro de 2014 | NOTA: 8.0
  • Um filme de grandiosidade esplêndida. A crítica proposta é muito mais profunda do que aparenta ser, mas aos olhos de quem consome o exercicio de futilidade praticado pela TV é quase inútil, porém ao jornalismo é uma realidade a ser encarada.

    Alexandre Guimarães | Em 23 de Dezembro de 2014 | NOTA: 9.0
  • Um inteligente retrato satírico do poder das televisões, da busca do sucesso a qualquer preço e da passividade da sociedade diante disso. O roteiro é afiado, equilibrando humor e drama, e o elenco, impecável, com todos tendo momentos de brilho.

    Eduardo Pepe | Em 18 de Outubro de 2014 | NOTA: 8.0
  • Tem uns excessos que incomodam e o tom de exagero não funciona o tempo todo, mas a crítica a TV e a desumanização é valida e atual, além de ser apresentada de maneira deliciosa. Uma diversão gostosa e pensante.

    Landerson DSP | Em 01 de Outubro de 2014 | NOTA: 7.0
  • E pensar que vou me inserir nesse meio...

    Guilherme Algon | Em 20 de Julho de 2014 | NOTA: 9.0
  • Um homem escreveu esse filme sozinho e não recebeu o Nobel por isso. Um sério absurdo.

    Douglas Rodrigues de Oliveira | Em 04 de Junho de 2014 | NOTA: 8.0
  • Lição de moral - majoritariamente válida, ok - passada muito didaticamente (cofcof discurso de Holden ao final) com uma revolta que funcionaria muito mais se o filme se entregasse completamente ao circo, à comédia, e não se levasse tão a sério.

    Augusto Barbosa | Em 23 de Março de 2014 | NOTA: 5.0