Saltar para o conteúdo

Era Uma Vez em... Hollywood

(Once Upon a Time in... Hollywood, 2019)
8,0
Média
324 votos
?
Sua nota
Direção
Quentin Tarantino
Roteiro:
Quentin Tarantino
Gênero:
Ação, Drama, Suspense
Origem:
Estados Unidos, Reino Unido
Estreia:
15/08/2019
Duração:
161 minutos
Prêmios:
77º Globo de Ouro - 2020, 2020 BAFTA, 92º Oscar - 2020

Lupas (43)

  • Até o final o filme foge um pouco do estilo tradicional do Tarantino, ele mostra bem como era o cinema no final da década de 60, DiCaprio como sempre muito bem, atuação longe de ser a melhor de sua carreira más mesmo assim muito bem no filme, Pitt sim, esse surpreendeu, poucas cenas más sem duvida as melhores do filme, Margot bem discreta.

    Constantino Fonseca Martins Junior | Em 01 de Abril de 2020 | NOTA: 8.0
  • A inteligência e capacidade de Tarantino é inquestionável. Mas nós últimos filmes dele, desde de D'jango, que por sinal foi formidável. Após este não consegui mais gostar de seus longas, quanto costumava. Parece que sua fama tem feito ele diminuir nas cenas empolgantes, nas porraloquices e focado mais em diálogos, que sim amo seus diálogos. Mas a vontade de rever esses 2 últimos não tive não. Assisti e gostei, nada mais que isso. Fico triste, e espero que esse desejo em mim retorne com os próx.

    Robson Oliveira | Em 25 de Março de 2020 | NOTA: 7.5
  • Peca em excessos, como os dois últimos filmes do Tarantino. Se não fosse por isso, seria uma obra-prima beirando a perfeição.

    André Oliveira de Araujo Ferreira | Em 23 de Março de 2020 | NOTA: 8.5
  • Eu amo Los Angeles e por isso gostei do cenário meio como um personagem. Spoiler -> Eu fiquei bem deprê ao ver os personagens de Sharon e Amigos no final, pois era para eles estarem mortos, se fosse a vida real. O filme não é triste em momento nenhum, mas no final acaba sendo bastante melancólico. O filme poderia ser mais curto e ter mais objetividade, no final estava nem aí para o que acontecia com o personagem do Leonardo.

    João Davi Minuzzi | Em 11 de Março de 2020 | NOTA: 7.0
  • O sentimento de participar de um pedaço da história esquecido pelo tempo -mas ao mesmo tempo tão importante para ele- toma controle da tela e invade uma realidade cômica e intensa na mesma medida. O movimento hippie, a era de ouro do cinema Hollywoodiano, as máscaras da indústria e a famigerada narrativa Tarantinesca fazem desse filme um achado em meio as tantas histórias que não se arriscam. E vale lembrar que junto da "à prova de morte", é o filme mais conciso e maduro do diretor. Obra-prima.

    Gabriel Fagundes | Em 01 de Março de 2020 | NOTA: 8.0
  • Não é um filme... é um retrato animado de uma época, uma homenagem ao universo que o diretor tanto adora e referencia em seus longas. Diálogos excelentes, atuações espetaculares do elenco estelar, com destaque DiCaprio, fazendo um ator de sucesso que quer se manter no topo apesar da mudança dos tempos. Em cena, seus personagens são sempre seguros de si e confiantes, atrás das câmeras ele chora à toa e gagueja, genial. A falta de uma trama, porém, pode afastar o expectador mais casual.

    Gray Fox | Em 01 de Março de 2020 | NOTA: 8.0
  • Um filme de verdade com grandes astros, orçamento, e sucesso no cinema americano. Até que enfim.

    J. Heleno Paiva | Em 27 de Fevereiro de 2020 | NOTA: 8.0
  • A força e a fraqueza de Quentin Tarantino decorrem em grande medida de que, para ele, o mundo começa no cinema e termina no cinema. Digamos então, só, que, à falta do que dizer, Tarantino se dedica a reescrever histórias, à maneira do que fez em Bastardos Inglórios. A falsificação de fatos hoje é um fenômeno difundido, ajuda a eleger presidentes e tudo mais. Isso não isenta o cinema; ao contrário, aumenta sua responsabilidade, como matriz do universo das imagens em movimento.

    Edward Jagger DeLarge | Em 23 de Fevereiro de 2020 | NOTA: 10.0
  • Tarantino parece ter se apaixonado pelo conceito de poder falsear a história "para o bem". O bromance da dupla protagonista possibilita atuações geniais, trazendo os melhores momentos da carreira de DiCaprio e Pitt.

    João Vitor G. Barbosa | Em 11 de Fevereiro de 2020 | NOTA: 8.0
  • Eu nunca esperei tanto um filme acabar.

    Joao Noleto | Em 23 de Janeiro de 2020 | NOTA: 5.5
  • Sabe quando você é viciado em vídeo game e só escolhe o Real Madrid? Então...

    Duduber | Em 22 de Janeiro de 2020 | NOTA: 6.5
  • Tarantino sendo Tarantino, sem cair tanto na mesmice.

    Lucas Alves de Castro | Em 20 de Janeiro de 2020 | NOTA: 8.0
  • O filme narra de forma fantasiosa os acontecimentos trágicos em Hollywood de 69, daí o título. E apesar das quase 3 horas de película em momento algum me senti cansado ou desapontado, pelo contrário, o filme tem um ritmo ótimo. E falando em ótimo, tudo no filme está soberbo, as tonalidades de cores, os jogos de câmera, trilha sonora, e claro Pitt e DiCaprio dando aulas de atuação.

    Luiz Fernando Perugia | Em 17 de Janeiro de 2020 | NOTA: 9.0
  • Filme é meio arrastado, Tarantino poderia ter entregue um filme mais enxuto.

    Rodrigo Carlos de Souza | Em 12 de Janeiro de 2020 | NOTA: 8.0
  • Me parece se tratar do Tarantino de sempre, um filme completamente gratuito que não possui absolutamente nenhum centro narrativo ou ao menos propósito, algo a se criticar ou de fato homenagear servindo apenas para Tarantino desfilar suas idiotices e infantilidades típicas sempre baseadas numa exacerbação canastrona e diálogos desviados tolos. Ao menos suas referências são bem legais.

    Eliezer Lugarini | Em 09 de Janeiro de 2020 | NOTA: 5.0
  • É um pouco cansativo em alguns momentos, mas Leonardo DiCaprio e Brad Pitt estão excelentes. Além de ótima direção e ótimo roteiro de Tarantino. Na parte técnica não tem do que reclamar. Direção de arte, fotografia, figurino, trilha sonora é tudo excelente.Tem os seus problemas, principalmente é cansativo em alguns momentos, especialmente no segundo ato, mas é mais um ótimo filme do diretor.

    Thiago Cavalcante Hércules | Em 05 de Janeiro de 2020 | NOTA: 8.5
  • A fórmula básica de Tarantino, aqui, é a mesma, mas com nuances. Destaca-se, porém, um cuidado maior, e às vezes meio cansativo, com a submersão dos personagens no meio: a articulação de referências, as longas e frequentes ambientações e a recriação de figuras reais, mesmo quando não importantes para o desenvolvimento da narrativa. O grande trunfo vem ainda da quebra da expectativa em torno da figura de Sharon Tate, conduzindo o espectador a um patamar surpreendente, bonito e muito original.

    Victor Tanaka | Em 30 de Dezembro de 2019 | NOTA: 8.0
  • Tarantino se renova completamente ao criar uma filme sem uma trama central, mas sim um belo conjunto de momentos isolados que, em sua grande maioria, funcionam perfeitamente e esbanjam um certo carisma. Com isso, a ambientação de Hollywood foge de uma recriação genérica; o diretor exalta aquela época com autenticidade e leveza, sem cair em qualquer retrato simplista.

    César Barzine | Em 23 de Dezembro de 2019 | NOTA: 7.5
  • Sempre se espera muito mais de um diretor como Tarantino, tirando o lado sentimental, o filme é fraco. O menos legal da carreira de Tarantino, atuações medianas e nada de especial em todo o resto. A primeira hora fica enrolando onde gera um certo cansaço.

    Edson Gonçalves | Em 08 de Dezembro de 2019 | NOTA: 5.0
  • Muito longo, com muitas cenas aleatórias, muitas cenas loucas e top (como as cenas com a menininha e as da Pussycat e Dakota ) entretanto outras dispensáveis e chatas, gostei da história real, e até da encheção de linguiça com o Brad e Leo, mas deturpou tanto o final que acabou não me agradando tanto, o filme é uma ode ao cinema, e certamente agradara os cinéfilos mais saudosistas e fã do diretor, não me encaixei no perfil, apenas gostei...

    Rosana de Almeida Machado | Em 07 de Dezembro de 2019 | NOTA: 7.5