Saltar para o conteúdo

Notícias

CANNES | Bong Joon-ho vence a Palma de Ouro com Parasite

Foram distribuídos hoje os prêmios da principal mostra competitiva do Festival de Cannes. O grande destaque desta edição foi Parasite, novo trabalho do coreano Bong Joon-ho (Memórias de um Assassino), que venceu a concorrida Palma de Ouro, prêmio máximo do festival.

Reconhecido mundialmente por sua competência em construir narrativas audaciosas e com viés fantástico (como em O Hospedeiro, Expresso do Amanhã e Okja), neste novo projeto Bong Joon-ho investe em cenários menos ambiciosos para narrar uma história tragicômica, com conflitos sociais que giram em torno de uma família de desempregados vivendo em um pequeno apartamento sujo e escuro.

Prêmio para o Brasil

O cinema brasileiro também fez sucesso nesta edição do festival. Bacurau, de Kleber Mendonça Filho, dividiu com o francês Les Miserables o Prêmio do Juri, terceira categoria mais importante do evento - A Vida Invisível de Eurídice Gusmão, de Karim Aïnouz, já havia recebido ontem o prêmio de melhor filme da mostra Un Certain Regard.

Atlantique, da cineasta senegalesa Mati Diop, saiu premiado com o segundo principal troféu de Cannes, o Grand Prix, completando o quadro de filmes que receberam maior destaque no evento.

Confira todos os vencedores do 72o Festival de Cannes:

Palma de Ouro (Curta): The Distance Between Us and The Sky (Grécia)
Câmera de Ouro: Nuestras Madrees (Guatemala)
Roteiro: Portrait of a Lady on Fire (França)
Atriz: Emily Beecham por Little Joe (Inglaterra)
Ator: Antonio Banderas por Dolor y Glória (Espanha)
Direção: Jean-Pierre & Luc Dardenne por Le Jeune Ahmed (Bélgica)
Prêmio do Júri (3º lugar): Empate técnico entre Les Misérables (França) e Bacurau (Brasil)
Grand Prix (2º lugar): Atlantics (Senegal)
Palma de Ouro (1º lugar): Parasite (Coreia do Sul)

Comentários (3)

Guilherme Spada | sábado, 25 de Maio de 2019 - 23:02

"com conflitos sociais que giram em torno de uma família de desempregados vivendo em um pequeno apartamento sujo e escuro." não tem como não comparar com Assunto de Familia, ganhador do mesmo prêmio ano passado :/ espero que seja bom

Carlos Eduardo | domingo, 26 de Maio de 2019 - 11:14

Sendo de Bong dá pra confiar em algo original. Muita gente elogiou.

Augusto Barbosa | segunda-feira, 27 de Maio de 2019 - 10:36

"não tem como não comparar com Assunto de Familia, ganhador do mesmo prêmio ano passado :/ espero que seja bom"

Rapaz, Bong e Koreeda são MUITO diferentes, não consigo comparar nem com uma sinopse semelhante.

Faça login para comentar.