Saltar para o conteúdo
7,8
Média
114 votos
?
Sua nota
Direção
Ben Safdie, Josh Safdie
Roteiro:
Josh Safdie, Ben Safdie, Ronald Bronstein
Gênero:
Drama, Policial, Suspense
Origem:
Estados Unidos
Duração:
135 minutos

Lupas (21)

  • Tenho algumas ressalvas quanto ao estilo dos irmãos Safdie, coisa boba até. Mas aqui eles provam que estão em evolução, impossível não ser tragado pelo ritmo frenético da narrativa. Adam Sandler também ajuda muito. Bom filme!

    Zacha Andreas Lima | Em 27 de Fevereiro de 2020 | NOTA: 8.0
  • De modo frenético do início ao fim, prendemos a atenção e a respiração que só termina no clímax final, em uma trama de um vício por apostas e no perigo em todas as instâncias. Sandler está bem, mas o clamor por premiações já é um exagero.

    Bruno Ricardo de Souza Dias | Em 18 de Fevereiro de 2020 | NOTA: 7.5
  • Nem passo perto da ideia de que é uma boa atuação do Sandler, ao meu ver é mais do mesmo , aliás muito próximo ou igual ao que ele já ou sempre fez. Ainda sim o filme dos Safdies tem uma pegada alá Paul Thomas Anderson e um roteiro bastante envolvente apesar de um ou outro buraco de lógica em seu enredo. A câmera na mão dos safdie ainda me incomoda mas o resultado é ligeiramente superior à seu filme anterior;

    Eliezer Lugarini | Em 17 de Fevereiro de 2020 | NOTA: 7.0
  • Frenético, viciante, inquieto, muito bem atuado. Sandler encarna satisfatoriamente o joalheiro atrapalhado e adúltero. Tentando tirar vantagem a cada jogada (de apostas em jogos na NBA a esquemas em Leilão), tem-se o retrato de um homem completamente perdido com as possibilidades inerentes ao capitalismo.

    Alan Nina | Em 11 de Fevereiro de 2020 | NOTA: 8.0
  • A surpresa fica por conta de Sandler. Era mesmo ele, ou foi uma benéfica ilusão de ótica?

    Conde Fouá Anderaos | Em 11 de Fevereiro de 2020 | NOTA: 7.5
  • Leiam o texto: 'a pulsão de morte do capitalismo tardio'.

    Júlio César Filho | Em 10 de Fevereiro de 2020 | NOTA: 8.5
  • O que chama a atenção além do cenário bem personalizado de uma Nova Iorque movimentada é a composição nua e crua de sua narrativa. É tão profundo que o envolvimento de pessoas da família de Howard bem como seus cobradores são jogados juntos em sua ganância infinita. Em sua reflexão final, encontramos uma mistura de agonia e certas contemplações malucas nesse universo viciado e ambicioso no qual o protagonista é completamente escravo. Sandler quase alcança a sua principal joia: Reine Sobre Mim.

    Rafael Costa | Em 10 de Fevereiro de 2020 | NOTA: 7.5
  • Uma trama que prende pela tensão estabelecida sobre personagem principal, é incrível como ele responde muito bem a cada situação, conseguindo passar um sensação de nervosismo e inquietação, levando a um desfecho, incrivelmente impactante. Adlam Sandler demonstra a melhor atuação da sua carreira, um feito digno de premiação.

    Wilken Vieira dos Santos | Em 09 de Fevereiro de 2020 | NOTA: 9.0
  • Ritmo Frenético. Atuação memorável. Esse filme vai ser uma peça rara dos futuros cinéfilos

    Igor Guimarães | Em 07 de Fevereiro de 2020 | NOTA: 8.0
  • Assistir sob uma expectativa crescente de tensão, como se a qualquer momento a bola de neve de acontecimentos pudesse passar por cima das mil e uma probabilidades que você já articulou na sua cabeça é aterrorizante. O papel caiu como uma luva para Sandler, chega a ser hipnotizante as cenas onde o personagem vai contra todas as saídas possíveis. E pode anotar, esse com certeza vai entrar pro hall dos filmes cult.

    Gabriel Fagundes | Em 06 de Fevereiro de 2020 | NOTA: 9.0
  • Não é a primeira vez que Sandler acerta, só não é frequente ele ser chamado para personagens desse nível. Sua atuação afiada é guarnecida pela direção dos Safdie, cuja pegada acentua mais uma vez a inquietude de um protagonista na selva urbana, cada vez mais encalacrado numa espiral de sorte ou revés.

    Patrick Corrêa | Em 05 de Fevereiro de 2020 | NOTA: 8.0
  • Inquietante do início ao fim. Sandler brilha num filme claustrofóbico e cheio de adrenalina. Um dos melhores do ano, mesmo faltando um ano inteiro pela frente.

    Vinicius de Moraes | Em 05 de Fevereiro de 2020 | NOTA: 9.5
  • Incansável, exaustivo, estridente. A derrocada de um homem viciado em seu próprio ego, tomado pelas exigências de um mundo de soberba. Sandler é o que sempre foi, agora com um propósito de mais imensidão que uma opala negra. Verborrágico, dinâmico, escalonando erros e acertos e erros ao som eletrônico que vibra na selva de concreto.

    Guilherme Algon | Em 03 de Fevereiro de 2020 | NOTA: 7.5
  • Fui babando na expectativa mas achei bem fraco. A proposta de um Sierra Madre moderno e o papel do joalheiro no jogo capitalista, c/seus esquemas e apostas, são até interessantes, mas faltou substância no discurso. As escolhas estéticas achei breguíssimas, principalmente a trilha. O elenco todo é fraquíssimo, inclusive A.Sandler, ainda fazendo A.Sandler, porém c/apetrechos e sotaque. A tensão cresce bem no final, mas termina num clichê barato. Um filme chato, s/carisma e carente de discurso.

    Josiel Oliveira | Em 03 de Fevereiro de 2020 | NOTA: 6.0
  • Adam Sandler está uma força da natureza nessa tour de force dos Irmãos Safdie!!

    Wellington Junior | Em 03 de Fevereiro de 2020 | NOTA: 9.0
  • Tenho bloqueio com Adam Sandler e suas comédia, não gostei, muita falação, algazarra, nada divertido, chato... E o piro, longo, muito longo...

    Rosana de Almeida Machado | Em 02 de Fevereiro de 2020 | NOTA: 5.5
  • Sua maior virtude não é sobre as consequências eminentes de um ato (como o seu final, que é um passo para trás e meio cafona), mas sim sobre a deterioração de um tipo de vida. Mentiras que já não tem escapatória, mentiras que se expandem para si mesmo; relações; sexualidade; masculinidade; família e etc... Que se condensa com a realidade que se perde num desejo incessante de vitoria e de consumo. O olhar para o excesso é poder ver o final de varias mentiras. Adam Sandler está espetacular.

    Leonardo Ferreira Sampaio | Em 02 de Fevereiro de 2020 | NOTA: 7.5
  • Adam Sandler...uau...quem diria?! Sensional. Merecia pelo menos a indicação...

    Vinícius Barbosa | Em 02 de Fevereiro de 2020 | NOTA: 8.0
  • Ritmo disparado, mas mesmo assim, a atuação de Sandler não me parece mais do que uma atuação mediana de algum ator ao nível de Phoenix ou DiCaprio. Se Adam Sandler quer realmente conquistar um público mais crítico, precisa acima de tudo, levar o cinema mais a sério. Entretanto, Joias Brutas é surpreendentemente bom, lembra muito P.T.A.

    Mateus da Silva Frota | Em 31 de Janeiro de 2020 | NOTA: 7.0
  • Trabalha mal a sua ambientação, não dando um aspecto geral sobre o universo das apostas. A conexão com o protagonista e seus problemas vai gradativamente caindo em meio ao roteiro que, mesmo sendo engenhoso, é incapaz de traçar uma ligação mais forte com o espectador. Tem a sua adrenalina, mas é mal trabalhada, e em nenhum momento empolga ou prende a atenção.

    César Barzine | Em 25 de Janeiro de 2020 | NOTA: 6.0