Saltar para o conteúdo
7,8
Média
61 votos
?
Sua nota
Direção
Yasujiro Ozu
Roteiro:
Yasujiro Ozu, Kôgo Noda
Gênero:
Comédia
Origem:
Japão
Duração:
94 minutos

Lupas (9)

  • Retrato lindo de morrer à respeito da sociedade japonesa, vida em família e a chegada da tecnologia como uma arma poderosa na quebra do conceito rígido disciplinar e comportamental da época. É o mundo se transformando aos poucos e de forma sutil.

    Eliezer Lugarini | Em 26 de Setembro de 2018 | NOTA: 8.0
  • Ozu usa com maestria óbvia a sua requintada e encantadora simplicidade artística como artilharia, e desta vez de forma explícita e anedótica, investigando o complexo impacto (para as outras gerações) da tecnologia numa família. Mais atual, impossível.

    Douglas Rodrigues de Oliveira | Em 07 de Fevereiro de 2018 | NOTA: 9.0
  • Geométrico e singular. Na trama e em tudo.

    Lucas da Costa Simão | Em 16 de Agosto de 2016 | NOTA: 8.5
  • Uma ode a simplicidade. Profundeza de observação sobre o cotidiano. Ozu era um gênio. Talvez (afinal existe Kurosawa e Mizoguchi) o maior cineasta nipônico de todos os tempos.

    Conde Fouá Anderaos | Em 03 de Julho de 2016 | NOTA: 10.0
  • Vizinhos estão em praticamente todo o lugar. Então, o recomendável é tentar manter a melhor relação possível com eles, principalmente quando seus filhos amam a TV deles.

    Patrick Corrêa | Em 29 de Novembro de 2014 | NOTA: 7.5
  • 21/12/07

    Eduardo Scutari | Em 05 de Março de 2014 | NOTA: 9.0
  • Ozu filma duas gerações diferentes. As crianças são o novo Japão, moderno, influenciado pelo ocidente. Os adultos são o passado, o Japão tradicional meio deslocado após o fim da Guerra. Um embate se cria, mas doce e singelo, como um bom filme de Ozu!

    Zacha Andreas Lima | Em 20 de Abril de 2013 | NOTA: 8.0
  • Ozu nos expõe as relações humanas e familiares em pleno momento em que o mundo ao redor se transformava, o consumismo se tornava comum necessidade e a fuga através da nova tecnologia já era um afã nacional.

    Edward Jagger DeLarge | Em 17 de Abril de 2013 | NOTA: 6.0
  • É apaixonante assistir filmes de Ozu. A simplicidade dos temas,a camera estática,os problemas rotineiros de cada pessoa. Tudo isso somado forma um painel da vida,estamos olhando pessoas vivendo.

    Adriano Augusto dos Santos | Em 27 de Abril de 2011 | NOTA: 8.0